Adjuto Afonso discute aviação regional para o interior do Amazonas

Escrito por Agostinho Alves do Vale em .

“Quero parabenizar o prefeito Araildo (Careca), pela inauguração de um aeroporto naquele município. Aeroporto moderno que vai atender a população daquela região. Essa obra foi uma Emenda da deputada federal Rebecca Garcia (PP). Nós temos na região do rio Negro um aeroporto em Barcelos, agora em Santa Isabel e em São Gabriel da Cachoeira. Sei da importância desse aeroporto para o município”, ressaltou o deputado.

O novo aeroporto de Santa Isabel do Rio Negro, que recebeu o nome de Brigadeiro Sérgio da Silveira Cardador, conta com todos os equipamentos de segurança exigidos, além de uma pista que mede 1.200 metros, com capacidade de pouso para aeronaves de pequeno e médio porte. A nova estrutura vai atender uma população de 23.765 mil habitantes.

O parlamentar destacou também uma promoção que a empresa Map Linhas Aéreas, que vai gerenciar os voos naquele município, anunciou em relação à redução de tarifas, que começa por Parintins e deverá ser estendida para outros municípios de forma gradativa. “Ter uma passagem com preço acessível é importante para a população, temos preços muito altos para os municípios que têm voos regulares”.

“Eduardinho” não vai fechar

O deputado Adjuto Afonso também repercutiu a notícia sobre a reunião da bancada amazonense, em Brasília, com o Ministro dos Transportes, Maurício Quintela. “O senador Omar Aziz esteve com a bancada e o ministro garantiu que o aeroporto não será fechado. Isso é importante, porque de nada adianta incentivarmos a aviação regional, colocarmos aeroportos nesses municípios e não termos um Terminal como o Eduardinho para essas pessoas se deslocarem para o interior. Aviação regional tem que ser estimulada, apoiada, o governo tem que olhar diferente”.

Em aparte, os deputados Vicente Lopes (PMDB) e Sabá Reis (PR) elogiaram o deputado Adjuto Afonso por trazer o tema ao plenário e reforçaram o discurso da necessidade tanto de mais estrutura para o interior no setor aéreo, quanto da permanência do “Eduardinho”.