Conselho de Segurança da ONU reafirma apoio ao processo de paz da Colômbia

Escrito por ONU News.

O presidente colombiano Juan Santos (direita) cumprimenta o embaixador do Uruguai, Elbio Rosselli, (esquerda) no encontro com os membros do Conselho de Segurança da ONU, em BogotáMissão da ONU/Juan Manuel BarreroO presidente colombiano Juan Santos (direita) cumprimenta o embaixador do Uruguai, Elbio Rosselli, (esquerda) no encontro com os membros do Conselho de Segurança da ONU, em BogotáMissão da ONU/Juan Manuel Barrero

Em visita histórica à Colômbia esta semana, os membros do Conselho de Segurança da ONU reafirmaram apoio ao processo de paz que pôs um fim ao conflito de 52 anos no país sul-americano.

Os representantes dos 15 Estados-membros do órgão se reuniram com o presidente colombiano Juan Manuel Santos, que agradeceu o apoio e a assistência para alcançar um cessar-fogo na região. As informações são da ONU News.

Santos disse que "é muito difícil controlar um cessar-fogo em qualquer conflito". Mas. segundo ele, desde que o decreto foi firmado, há oito meses, não houve mais nenhuma morte ou ferimento entre a população civil ou forças militares por causa de conflitos com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

O presidente disse ainda que não foi registrado nenhum confronto entre as Farc e as forças de segurança públicas e também não houve nenhum sequestro. Ele informou que será criada uma segunda missão da ONU na Colômbia e que seu país continuará cooperando com as Nações Unidas para alcançar a paz, não somente no país, mas no mundo inteiro.

Vocação da América

O presidente do Conselho de Segurança este mês, o embaixador do Uruguai, Elbio Rosselli, citou "a vocação obstinada pela paz" dos colombianos. E elogiou a coragem política para levar o processo de paz adiante e de seu efeito além das fronteiras colombianas.

“O continente americano, de norte a sul, é a única área do mundo onde não há um conflito ativo", disse o embaixador. Ele declarou que o Conselho de Segurança está comprometido em fornecer o apoio necessário que os colombianos pedirem.