Com Agostinho Alves - email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.


Processo preparado

Escrito por Agostinho Alves. Publicado em OPINANDO

Tivemos acesso a informações privilegiadas, com fato que podem ser constatadas a veracidade. Não vai demorar muito tempo e o Barão, ou alguém indicado por ele vai vencer mais uma licitação em Boca do Acre. O mais interessante é que o pregoeiro que se diz honesto, não vai ter trabalho de montar o processo, pois tudo já está arquitetado e vai acontecer dentro de muito em breve. O senhor D’Ávila, homem de caráter ilibado, vai se limitar ao trabalho de dizer quem ganhou a licitação, sendo que o vencedor já está determinado.

Tudo pode

No governo Zeca tudo pode, com a justificativa de não deixar a oposição ter voz nem vez e com o propósito de ajudar os correligionários, ou diria, bajuladores, que parecem ser piores, bem piores do que os iranianos.

Com o iran não podia, com o Zeca pode

Assim agem os bajuladores do governo Zeca, os ‘Zequistas’, que antes rejeitavam e criticavam ferozmente a corrupção e agora aplaudem a maracutaia. Os mesmos indícios de safadeza que ocorriam no governo passado estão acontecendo agora, mas a situação de análise é completamente diferente. Antes, qualquer pequeno ato do ex-prefeito era tido como afronta à moral e aos bons costumes, hoje em dia, parece que tudo virou normal, sem crime, sem julgamento.

Se o Iran fazia, por que não pode fazer?

Sem defesa, sem argumentos e sem rumo, com pouca inteligência e muita burrice, os Zequistas só tendem a dizer uma coisa: “O Iran também fazia isso”. Ou seja, quem foi eleito para ser honesto e diferente, se agarra no erro do ex para justificar as barbeiragens atuais.

Ainda têm esses

E ainda têm uns babacas que ousam dizer que só agora nós mostramos os erros. Ou são cegos, surdos, burros ou completamente imbecis, ou então não habitavam por estas terras quando não deixamos o ex-prefeito fazer suas maracutaias em paz e toda edição batíamos de frente com as falcatruas.

Herói no passado...

Herói do passado, vilão no presente: Assim é o jornal Opinião. Lembro-me, não faz muito tempo, éramos elogiados, venerados, tidos como heróis e para nós diziam que éramos a salvação da sociedade, impedíamos que o ex-prefeito fizesse coisas piores.

...vilão no presente

Mas foi só esse grupo de fãs entrar no poder e começar a fazer as mesmas coisas e receber as mesmas críticas, que agora nos veem como vilões, criticando o nosso trabalho, nos taxando de oposição. O julgamento de vocês, para nós não vale nada, não deprecia o trabalho honesto que fazemos e continuaremos a fazer. Está mesmo na hora de criar vergonha na cara e ajudar o prefeito de vocês a cumprir com o que ele prometeu em campanha, aconselhá-lo a não favorecer de forma tão descaradas e sem escrúpulos as empresas ligadas ao tal do Barão, que parece mais um mandachuva.

Coitado

Tem certo comerciante, que antes parecia uma galinha quando botava um ovo, gritava para os quatro cantos da cidade (no Centro), criticava a rua dele que era no barro, na poeira, na lama. Interessante é que essa rua está na mesma situação, mas o comerciante agora só sabe dizer nas redes sociais: #népai. Mas o que esperar de um semianalfabeto, que talvez até tenha dificuldade de escrever o próprio nome?

Salário gordo de aposentado

Tem aposentado ganhando salário altíssimo. Não pode, é contra a lei, é contra os princípios da moralidade. Só na família do aposentado em questão, se somar os salários de todos os membros, chega a mais de vinte mil reais, enquanto isso, os garis estão sem receber. Brincadeira, seu José Maria.

Nova vergonha

A Câmara de vereadores tem tudo para ser uma vergonha, pior do que a anterior, pois têm vereadores que não darão um gemido sequer contra os desmandos do prefeito, porque grande parte de sua família está sendo beneficiada com empregos temporários.

Gestão com ódio

O vereador Adautivo da Silva acusou a atual gestão da Secretaria Municipal de Educação, de ser feita com ódio. O presidente da CMBA enviou um ofício à SEMED questionando os indícios de corrupção, destacando preceitos legais que rezam sobre o local de trabalho do servidor público, principalmente professores, que por força da lei, devem ser lotados nas imediações de suas moradias.

Críticas

Nas últimas semanas, Adautivo tem feito duras críticas, de forma indireta e até mesmo diretas, que têm como alvo o secretário de Educação, Alcimar Carvalho. Silva se diz decepcionado com a gestão de Carvalho, acreditando que ele dissemina o veneno da perseguição política e ajuda a fortalecer a divisão política que há em Boca do Acre.

Resposta

Conversamos com o secretário de Educação, Alcimar Carvalho, que nos respondeu: “Estou respondendo a solicitação. Se colocar quem não trabalhava para trabalhar é perseguição, querem desvirtuar as atribuições da administração pública”.

Olá, João Paulo, tudo certo? Vamos conversar?

João Paulo, pregoeiro da Prefeitura de Boca do Acre, já que você não me responde mais no whatsapp nem atende as minhas ligações, vamos conversar por aqui. Fiz uma entrevista com você, oportunidade em que você afirmou que sua índole é um dos componentes curriculares que o habilita a fazer parte de várias administrações.

Duvido desta tal índole

Permita-me, seu João, mas até agora, os motivos que o senhor tem me dado, é para duvidar demais dessa índole, pois uma pessoa que se esconde de mim, que parece mentir descaradamente, não vejo com bons olhos e descredencio sua índole como boa, na realidade, tem tudo para ser das piores.

Errou, porque não sabia?

O senhor, que além de honesto, se julga competente, não faz jus ao adjetivo, uma vez que, o senhor era para conhecer a lei de licitações de cabo a rabo, mas não, não conhece, parece que não, ou conhece e finge que ela não existe, pelo menos as proibições. Seu João, como é que o senhor desabilita concorrentes de certames e permite que um servidor nomeado possa concorrer, ganhar e ser contratado pela administração pública municipal? O senhor não sabe que a mesma fazenda que remunera o servidor, não pode ela contratá-lo para serviços terceirizados? Como diz o Chaves: “Que burro, dá zero pra ele”.

Facilitador da maracutaia

Seu João, se quem lhe contratou confia cegamente, ou lhe contratou porque o senhor poderia facilitar as possíveis futuras maracutaias, saiba que estaremos de olhos nisso e o senhor pode se arrepender de talvez tentar ajudar um governo a praticar corrupção.